Receba novidades sobre tratamento com células-tronco para seu pet e equinos

Procedimentos

A primeira etapa de qualquer tratamento é um contato do veterinário com a equipe da CellVet, para fornecimento de informações sobre o paciente através do preenchimento do formulário pré-procedimento e envio de exames complementares que sejam disponíveis. Este contato permite que o caso seja discutido com os veterinários da empresa, para decisão sobre a adequação do tratamento e detalhes sobre o mesmo (tipo e quantidade de células, volume e via de administração etc). Após estas decisões serem tomadas, o procedimento é diferente no caso de terapia com células da fração vascular-estromal (FVE), diretamente após coleta do tecido adiposo, ou células cultivadas (CTTAs), conforme ilustrado na Figura 1.

1 – Terapia com células da FVE (sempre autólogas):

  • a CellVet envia para o veterinário um “kit coleta”, contendo frascos com solução de armazenagem;
  • o veterinário coleta de 5 a 20 g de tecido adiposo, conforme o porte do animal, em ambiente cirúrgico ESTÉRIL, colocando nos frascos do kit coleta;
  • o kit coleta é enviado para a CellVet (por via rodoviária ou aérea se a coleta foi realizada em outro município);
  • a equipe da CellVet isola a FVE que contém as células-tronco, e envia para o veterinário. A CellVet explicará aos usuários a logística de coleta, envio e recebimento do material. O procedimento como um todo demora em torno de 3 a 4 horas, se a coleta é realizada em Porto Alegre, ou até 48 horas, se for em outro município ou Estado. As condições de estocagem e transporte dos tecidos e células são bem estabelecidas para garantir a viabilidade e função das células até a administração no paciente.

2 – Terapia com CTTAs:

  • as células são obtidas do Banco da CellVet e preparadas para envio, por Sedex 10, via aérea ou entrega direta na clínica veterinária, em Porto Alegre ou região metropolitana;
  • o veterinário recebe as células prontas para administração, em número e volume estabelecidos após a avaliação do caso.

O procedimento exige um curto prazo de preparo das células. Existe também a possibilidade de isolar e cultivar CTTAs autólogas, o que demanda um período de duas a três semanas.

Células Tronco

Figura 1 – O tecido adiposo é coletado (A) para isolamento da fração vascular-estromal (FVE) que contém as células-tronco (B). A FVE pode ser utilizada para tratamento (C), ou pode ser colocada em cultura, originando as células-tronco do tecido adiposo (CTTAs) purificadas (D). As CTTAs podem ser usadas para terapia autóloga ou alogenéica, quando obtidas a partir do Banco de células (E).

Apoio

Rua da Várzea, 22 - Jardim São Pedro
Porto Alegre - RS
(51) 3109-5223