Publicado em 20, dezembro 2015

Pesquisa em parceria com o Hospital Veterinário da ULBRA mostra eficiência das células-tronco na ceratoconjuntivite seca em cães

A ceratoconjuntivite seca (CCS) é uma enfermidade comum no cão, definida geralmente como uma diminuição da produção de lágrimas. Não tem cura, e o tratamento convencional é o uso diário de colírio. Neste projeto, que constituiu a monografia para obtenção do Título de Especialista em Residência Médica Veterinária da veterinária Iasmine Biz Mottin na ULBRA, seis cães com CCS foram tratados com células-tronco do Banco de Células da CellVet. Em 3 deles, as células foram pingadas nos olhos, como um colírio, e em outros 3 elas foram injetadas na região periglandular. Os resultados mostraram que em cães mais idosos (mais de 10 anos) ou com a doença mais grave (nenhuma produção de lágrima) o tratamento não induziu melhoras, mas em cães mais jovens com CCS diagnosticada, tanto a injeção como o colírio de células-tronco devolveram a normalidade aos olhos. Mesmo 6 meses após o tratamento, os animais mantêm a produção normal de lágrima, sem necessidade de uso do colírio.

Apoio

Rua da Várzea, 22 - Jardim São Pedro
Porto Alegre - RS
(51) 3109-5223