Publicado em 13, agosto 2016

Estudo clínico gratuito recebe cães voluntários com displasia coxofemoral

Seu cão manca, tem dores para caminhar e sofre com displasia coxofemoral? Saiba que ele pode participar do estudo clínico gratuito feito em parceria ente CellVet e ULBRA, com apoio do Tecnova RS. O objetivo é investigar a eficácia da utilização das células-tronco combinadas com biomateriais no tratamento desta doença…

O estudo clínico realizado em parceria entre a CellVet-Medicina Veterinária Regenerativa e o Hospital Veterinário da ULBRA, quer avaliar o benefício da terapia com células-tronco combinadas a biomateriais no tratamento da displasia coxofemoral. Os cães que forem participar do estudo devem ter no máximo 6 anos de idade, não ter realizado cirurgia para a doença e nenhum outro tratamento nos últimos dois meses. A displasia coxofemoral deve ter sido diagnosticada por um veterinário. O tratamento, sem custo para o proprietário, será realizado em Canoas.

A displasia coxofemoral é uma enfermidade ortopédica hereditária comum em cães. Os portadores da doença mancam devido a problemas na articulação coxofemoral, que é a inserção do membro traseiro na cintura pélvica. Dos 4 aos 7 meses de vida o animal portador da doença já pode começar a sofrer com os primeiros sintomas. O cão começa a mancar e sente dores para andar. E é por causa desta dificuldade para caminhar que o animal pode parar de mexer a articulação, causando até atrofia do músculo. É importante saber que nem todos os animais que mancam têm displasia coxofemoral e a melhor maneira de averiguar se o cão é de fato portador desta doença é consultando um veterinário, que irá realizar os devidos exames de investigação.

Os interessados em participar do estudo devem entrar em contato com a CellVet, pelo email estudoclinico@cellvet.com.br, ou pelo telefone (51) 31095223.

Apoio

Rua da Várzea, 22 - Jardim São Pedro
Porto Alegre - RS
(51) 3109-5223